mon petit aquarium
"There was a point to this story, but it has temporarily escaped the chronicler's mind." Douglas Adams
08
Mar 08

bem sei que o blog está com um aspecto abandonado, de qualquer coisa que foi destruída pelas chuvas e ninguém se interessou em reconstruir. a verdade é que não ando corajosa.

tenho escrito. penso em coisas que talvez gostasse de partilhar. mas, ultimamente, quando chega à parte de dar a conhecer aos outros mais uma parte de mim, simplesmente não tenho forças. ou antes, tenho dúvidas quando quero ter certezas.

desde que me lembro sempre fui aquela pessoa que tem sempre que ter razão. quer dizer, toda a gente gosta de ter razão. mas sempre acreditei piamente que tinha razão. durante muito tempo acreditei que não havia outra possibilidade, que alguém que não concordasse pudesse estar certo.

lentamente fui-me apercebendo que não é bem assim. o mundo não é preto e branco. e eu, infelizmente, não tenho sempre razão. gosto de chamar a isto crescer. acordar para a vida também seria adequado.

ora o problema é que, a partir desse ponto, tive que começar a mudar-me de maneira a que, quando partisse para uma discussão, estivesse aberta a outras hipóteses. às vezes acho-me um bocadinho obsessiva, um bocado de extremos (no caso, seria ou não seria, mas deixem lá passar o paradoxo) e o que me faz parecer moderada é o ter noção disso e tentar contrariar a balança. equilibrá-la. o que quero dizer é que estar aberta a outras opiniões faz com que tenha que ir pensar no que as pessoas estão a dizer e não emitir logo juízos, o que muitas vezes acaba por parecer falta de opinião nas coisas que realmente importam. o que realmente se passa é que quero absorver aquilo que me estão a dizer, perceber se e porque é que é válido e só então emitir uma opinião que comporte toda a informação possível, sem me contradizer a cada cinco minutos.

se isto me torna uma pessoa sem opinião, então tudo bem. depois de uma longa discussão com o alter ego chego à conclusão que é melhor assim.

é claro que, com o passar do tempo, os argumentos válidos a favor ou contra vão-se consolidando e passa a haver uma opinião-base. não sei se isto a longo prazo é verdade. não sei se um dia nos tornamos tudo aquilo que somos em potencial. se um dia deixarmos de evoluir, de crescer, então também as nossas opiniões estgnarão (?).

tomando o anterior como verdade, há um outro grave problema que me aflige. se ninguém quer discutir coisas que interessem, se ninguém está disposto a mudar consoante a informação que recebe, se todos evitam as questões mais complicadas e mesmo que (ou talvez, porque) a sua discussão não leve, neste intervalo de tempo mais próximo, a mudanças efectivas nas ditas coisas importantes como é que se pode chegar às chamadas opiniões informadas? como é que o mundo pula e avança?

não sei bem de onde veio esta divagação. provavelmente o acumular de pensamentos, coisas em que penso recorrentemente. sei que esta semana vi o filme across the universe (2007) e quando ouvi a música strawberry fields forever (beatles [o filme é todo feito com músicas deles]) de novo lembrei-me de quando era mais pequena. esta foi a primeira letra de canção que aprendi. foi na primária que a professora de inglês levou a música e a letra para a aula e foi-nos explicando. traduzindo, aliás. só agora voltei a ouvir, de facto, a canção.

a diferença que os anos fazem.


living is easy with eyes closed, misunderstanding all you see
Hum... mt bom este post... começo a pensar q foste po curso errado... ou talvez para o certo, se o pensarmos como suficientemente esotérico para ti, mas ainda com uma réstia de saída profissional (q a filosofia n tem)...

Qt a ter ou não razão... de facto sp estiveste errada: a discutir com os teus irmãos n tinhas... com um simplesmente pq é ainda mais teimoso q tu... com o outro simlesmente pq tem mesmo sp razão (mm q os outros ainda n tenham percebido) ;)

E sim... isto é um processo evolutivo... e os 'revezes' e dúvidas são parte do crescimento... e por isso mm, apesar de mais uns anos e um pouco mais à frente no crescimento, não te vou dar as respostas q tenho actualmente para algumas das diambulações... não vá daqui a uns anos reler e achar q não tinha razão! :D

"a diferença que os anos fazem"... entre nós... entre nós há uns anos e agora... entre nós e os nossos pais... entre nós e os pais q seremos amanhã... ;)
M a 12 de Março de 2008 às 01:32
questionar faz parte do processo. acho que mais do que ter razão ou não, o importante passa a ser perceberes as coisas por ti, não porque to dizem, mas porque através dos argumentos conra e a favor consegues formar a tua opinião. e como nada e a preto e branco, perceber que estás errada, ver as coisas de outra maneira, mudar de opinião são coisas menos graves do que agarrares te a uma ideia sem ouvires o q t dizem, sem tentares ver as coisas de outro angulo, pelo prisma de outra pessoa... mas isto é so a minha opiniao;) lol beijinho*

ps: porque é que o blog ficou com este ar despido?!
megs a 10 de Abril de 2008 às 22:13
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
pesquisar neste blog
 
RSS
música